segunda-feira, 24 de junho de 2013

Minhas impressões


Vamos ver se eu entendi: tudo começou por causa do aumento das passagens. Tá, não é só por vinte centavos! Mas isso foi a gota d´água.

O Movimento Passe Livre (MPL) convocou pelas redes sociais e a população compareceu às ruas para protestar, não só pelo aumento, mas por inúmeros outros motivos: saúde, educação, corrupção, impunidade, PEC 37, liberdade sexual, gastos com a Copa... a lista é extensa.

Os protestos tomaram conta do país e, também, algumas partes do mundo. O Brasil virou notícia nos principais periódicos internacionais, já que os olhos do mundo estão voltados para o país da Copa e das Olimpíadas.

Após alguns dias de protestos, os governos cederam e os aumentos foram revogados. Mas as manifestações não cessaram. 

O MPL retirou seu time de campo (aproveitando o clima para uma gíria futebolística!), isentando-se de qualquer movimento que venha a acontecer daqui por diante. Não me surpreenderei se nas próximas eleições seus líderes lançarem-se candidatos.

Mas o povo continua nas ruas. Cada um lutando por uma causa diferente e, certamente, ninguém conseguirá mais nada. 

Os protestos pacíficos que reuniram centenas de pessoas com roupas brancas foram reduzidos a pequenos grupos que só fazem depredar o patrimônio público e privado. Vândalos e marginais aproveitando-se de algo bonito e espontâneo para destruir e saquear. Coisa de bandidos mesmo.

O movimento perdeu força porque não há um objetivo comum, está sem foco, atira para todos os lados. Não há  liderança, todos caminham sem saber aonde chegar, levados pela inércia. Perdeu o sentido, a razão de ser.

É chegada a hora de parar, repensar os objetivos, reagrupar. Razões não faltam para se protestar, mas sem ordem não há como alcançar o progresso.

10 comentários:

  1. Realmente, o movimento perdeu força porque não tem um foco. Se todos estivessem se manifestando utilizando a mesma direção, acredito que a voz do povo seria realmente ouvida e a diferença seria feita. Porém, uma lição de tudo isso que fica é: o povo brasileiro pensa!

    ResponderExcluir
  2. Eu sou totalmente a favor das manifestações , mas manifestações sem foco , sem uma liderança , sem organização , sinceramente , não dão em nada .
    Realmente , é hora de parar e organizar , para que as manifestações que possam tenham mais probabilidade de alcançar seus objetivos .
    Ranna-Sonhos na Estante .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tb sou a favor, desde q não virem mera arruaça.

      Excluir
  3. Manifestações sem foco sem liderança só geram bagunça.
    Eu acho que começou mal teve um meio bem e tá ruim de novo.
    Manifestações todos os dias já estão fazendo o povo ficar antipático.
    Uma manifestação é necessário, todos dias incomoda.
    Bom, nada é perfeito. Pelo menos o povo está se mexendo.

    A conclusão é perfeita: "É chegada a hora de parar, repensar os objetivos, reagrupar. Razões não faltam para se protestar, mas sem ordem não há como alcançar o progresso."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ao menos, alguns objetivos estão sendo alcançados.

      Excluir
  4. A falta de um foco além de atrapalhar ainda dá margem a essas badernas , vira oba oba

    ResponderExcluir
  5. Acho super importantes os protestos... Aqui na minha cidade teve e até participei... Mas no final as coisas ficaram bem confusas mesmo...

    ResponderExcluir
  6. Sou a favor dos protestos, desde que não danifiquem o patrimonio publico, pois o povo que terá que pagar. Parabens pelo post, excelente!
    À uns dias publiquei algo sobre a PEC 37/2011, depois da uma passada lá: http://guilhermeddutra.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Concordo com você, essa falta de foco acaba dando margem a um monte de gente ir pra rua sem nem saber mais porque, e aí muitas vezes acaba virando bagunça... E alguns dos pleitos são relativos a projetos de longo prazo ou que tem que seguir um trâmite... Então, por exemplo, não adianta ficar indo pra rua com cartaz pedindo a prisão dos mensaleiros, porque isso não vai acontecer na noite pro dia, o processo tem um rito e se ele é quebrado, dá margem a violar a segurança jurídica de qualquer um. Da mesma forma que ficar fazendo passeatas contra a corrupção, por exemplo, seria equivalente a fazer passeadas pela paz mundial. O objetivo é bacana, mas é uma coisa muito abstrata, não é batendo panela que a situação vai mudar...

    Acho que no início tava indo muito bem, mas o momento agora não é mais de ficar fazendo passeatas a esmo, e sim de encontrar um foco e pensar em soluções concretas.

    www.caldeiraodepensamentos.blogspot.com

    ResponderExcluir